STBNETSTBNET

quatro lições de davi no vale do carvalho

 

 Quatro lições de Davi no vale do Carvalho (I Sm 17)  
 
- Israel estava acampado para a batalha contra os filisteus (v2)

- Golias, um homem de 2,70 m de altura, propunha um duelo pessoal (v.8-10), cuja provocação prolongou-se por 40 dias consecutivos (v.16).

- Davi, cumprindo uma ordem de seu pai Jessé, foi levar comida para seus irmãos que estavam na batalha (v.17). Ao chegar e ouvir a afronta do gigante (v.23), sentiu-se tocado a dispor-se para o confronto (v.32).


(34) Então disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; e vinha um leão ou um urso e tomava uma ovelha do rebanho (35) e eu saia após ele, e o feria, e a livrava da sua boca; e levantando-se ele contra mim, lançava-lhe mão da barba, e o feria, e o matava. (36) Assim, feri o teu servo o leão como o urso; assim será este incircunciso filisteu como um deles, porquanto afrontou o exército do Deus vivo. (37) Disse mais Davi: O Senhor me livrou da mão do leão e da do urso; ele me livrará da mão desse filisteu. Então disse Saul a Davi, vai embora, e o Senhor seja contigo. (I Sm 17).

Na escola divina, os “vales” (símbolo de lutas), sempre cumprem propósitos para a vida de cada cristão (Rm 5.3). São treinamentos secretos (Gn 32.22,24,28), direcionados por Deus (Mt 4.1), para manifestação da glória do Senhor em público (v.36). Inevitáveis, esses vales produzem um arrojo de fé para desafios maiores (v.37).

2. Deus não garante a vitória com a muleta dos homens:

(38) e Saul vestiu a Davi das suas vestes, e pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze, e o vestiu de uma couraça. (39) E Davi cingiu a espada sobre as suas vestes e começou a andar; porém nunca o havia experimentado; então, disse Davi a Saul; Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei. E Davi tirou aquilo de sobre si. (40) E tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco seixos do ribeiro, e pô-los no alforge de pastor, que trazia, a saber, no surrão; e lançou mão de sua funda e foi-se chegando ao filisteu. (I Sm 17).

Há determinadas lutas em que não adianta nos apoiarmos em muletas humanas (Pv 3.5), tipificadas na história pela armadura de Saul (Sl 20.7).

Deus não se curva às técnicas divinizadas e nem sacraliza os métodos mirabolantes da moda do mercado gospel (Cl 2.8). Essas sugestões disputam a glória de Deus e consequentemente paralisam os cristãos (V.39). Davi optou, então, pela autenticidade e originalidade (v.40), sabendo que quem determinaria o resultado seria o Senhor e não o instrumental (Pv 21.31)


(45) Davi, porém disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu vou a ti em nome do Senhor dos exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tem afrontado. (46) Hoje mesmo o Senhor me entregará na minha mão; e ferir-te-ei, e te tirarei a cabeça, e os corpos do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e as bestas da terra; e a terra saberá que há Deus em Israel. (47) E saberá toda essa congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança, porque do Senhor é a guerra, e ele nos entregará na nossa mão. (48) ... apressou-se Davi (I Sm 17)

Diante da intimidação dos “gigantes” (v. 41-44), o ser humano fica confuso, não raciocina direito, perde a concentração, foca nos pontos negativos e fracos, superestima os problemas, paralisa, se esquece das promessas e do caráter de Deus e enfraquece na fé por se prender ao sensorial. Com isso, acaba entrando na peleja derrotado, solidificando ainda mais o estigma de fracassado (Pv 24.10). Agora, quando se crê (fé), geram-se ações imponentes (comportamentos) de vitoriosos (v.45); sem muita reflexão (pronome reflexivo “se”), mas com convicção (v.46), porque a fé opta pela competência divina e não pelo talento humano (v.47 / Jo 11.39-41).
4. Guerrear é uma experiência solitária, pois somente nós mesmos podemos derrubar nossos gigantes (Charles Swindoll)

(49) E Davi meteu a mão no alforge, e tomou dali uma pedra, e com a funda lhe atirou, e feriu o filisteu na testa; e a pedra se lhe cravou na testa, e caiu sobre o seu rosto em terra. (50) Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que tivesse usado uma espada sequer. (I Sm 17).

O seu Golias é o seu gigante. É uma investida intransferível. Um empreendimento solitário (Sl 23.4). Por isso, encare problemas, não adie decisões, não postergue conversas importantes, agilize prioridades, faça correções, toque na ferida mesmo que cause dor (Os 6.1). Enfrente traumas, medos, inadequações, vergonhas, indisciplinas, orgulhos, ressentimentos, falsas crenças, pecados etc., pois por certo esse gigante cairá (v. 49,50).

Denomine seu gigante, ore expulsando-o e tire de sobre si essas humilhações que distorcem sua auto-imagem como filho de Deus, partindo para as ações cabíveis no que depende de você.

Não se apresse em sair do vale. O salmista andou e não correu por ele (Ed René). Tire o máximo de lições, sempre aplicando na vida pessoal, focando nas transformações geridas pelo Senhor (Rm 8.28,29).

Pr. Sérgio Mascarenhas

 
       

 

 

Voltar »